Transforme conversas em conteúdo (+ 10 maneiras exclusivas de transformá-las)

<! –->

Uma conversa abre muitas possibilidades. Nas conversas, você aprende algo novo sobre uma pessoa e suas experiências.

Existem mais de 7,5 bilhões de pessoas neste planeta e cada um de nós tem uma história de vida única.

O que isso tem a ver com sua estratégia de marketing?

Quem usa seu serviço ou produto tem uma jornada diferente que o levou à sua empresa. Cada um de seus funcionários tem uma experiência diferente de trabalhar com você. Todo especialista e influenciador do setor tem uma perspectiva única.

Ao conhecer essas histórias, você aprenderá mais sobre como sua empresa se encaixa no seu setor. Você obtém mais informações sobre seus clientes reais e por que eles gostam de seus negócios. Conforme você aprende mais sobre como se relaciona com os outros, sempre pode influenciar positivamente seus esforços de marketing.

Também oferece um ótimo conteúdo que você pode usar de várias maneiras. Uma boa citação vai longe.

conteúdo

Assista ao webinar aqui:

Role pelo deck de slides aqui:

10 maneiras de usar sua entrevista

Todo mundo adora uma boa história, e há muitas maneiras de contar a elas. O conteúdo que você cria com uma entrevista pode ser usado várias vezes. Aqui estão apenas algumas idéias:

  1. Transforme-o em estudos de caso e histórias de sucesso.
  2. Integração de citações no conteúdo existente.
  3. Adicione clipes de voz ao conteúdo de áudio ou vídeo.
  4. Identifique ótimas citações para serem regravadas.
  5. Adicione citações pull poderosas a ativos que precisam de informações adicionais.
  6. Publique citações em canais sociais.
  7. Leia uma página com depoimentos.
  8. Formate sua conversa no estilo de perguntas e respostas.
  9. Combine entrevistas para uma peça única.
  10. Incorpore vídeos ao seu site.

Veremos mais de perto todas essas opções mais tarde, mas aqui está a próxima pergunta: quem você entrevistará?

Quem entrevistar

O primeiro passo para realizar uma ótima entrevista é escolher o parceiro de entrevista certo. Você se enquadra em uma das três categorias:

1. PME e influenciadores

Por que ela: Esses são os especialistas do seu setor que procuram as informações e os conselhos mais recentes. Eles são as pessoas que seu público quer ouvir de,

Objetivo da entrevista: Você entrevistará essas pessoas para obter informações em primeira mão sobre a área em que trabalha e para confirmar os esforços da sua empresa. Compartilhe esta entrevista com seu público para mostrar que você é aceito pelos influenciadores do seu setor.

Onde encontrá-los: Talvez você já tenha algumas pessoas em mente apenas porque conhece o seu setor. Encontre mais idéias nas fontes de notícias populares que são relevantes para o seu setor. Lá você pode ler sobre quem está contribuindo com conteúdo ou sobre quem está sendo falado.

O BuzzSumo ou uma simples pesquisa no Google também podem gerar ótimos leads. Aprenda sobre os palestrantes em conferências relevantes e pesquise nas mídias sociais as personalidades que seu público segue.

exemplo: Quando Andy Crestodina estava no nosso podcast "Above the Fold".

exemplo: Quando recebemos ótimas dicas de especialistas locais em SEO.

2. Funcionários e outras partes interessadas

Por que ela: Essas são as pessoas que mantêm seus negócios em um nível superior. Você conhece seus esforços em primeira mão e conhece os benefícios de trabalhar ou trabalhar com sua empresa. Além disso, eles podem repetir a missão ou os valores da sua empresa de maneira muito articulada.

Advocacia dos funcionários

Objetivo da entrevista: Para humanizar sua organização. Eles são ótimos para sites de carreira quando procuram novos empregos ou procuram voluntários, doadores ou membros do conselho. Eles também são úteis quando um cliente precisa de uma idéia das pessoas reais por trás dos seus serviços. Afinal, esta é uma maneira eficaz de promover os interesses de seus funcionários em seus negócios.

Onde encontrá-los: Seu diretório de funcionários ou sua suíte C. Se você escolher um tipo diferente de parte interessada a ser entrevistada, por exemplo. Por exemplo, um voluntário, um doador ou um membro do conselho, leva em consideração o mandato e a coerência. Você gostaria de falar com alguém que esteja entusiasmado com sua organização e que também possa refletir seus objetivos em uma entrevista. Você também pode enviar uma chamada para os entrevistados por meio de um boletim informativo da organização ou por email.

exemplo: Nossa vida na série Brafton. (O Spotlight de Kari Kennedy foi um dos artigos de maior sucesso no Facebook em 2018!)

exemplo: Tornando o Square Cool novamente – conheça o homem nos bastidores da Pregis – escrevi este artigo para um cliente depois que ele lançou um novo produto. O homem que avançou este produto teve muito a dizer sobre seu design e como ele pode ser usado.

3. Clientes e clientes

Por que ela: Essas pessoas têm experiência em primeira mão com seus produtos ou serviços. Eles podem fornecer um ponto de dor muito real e explicar como sua empresa o aliviou. Você também obtém informações sobre o caminho que eles chegaram ao seu negócio.

Objetivo da entrevista: Crie materiais de marketing! A partir dessas entrevistas, resultam testemunhos, estudos de caso, histórias de sucesso ou até ótimas cotações, e você pode usar esses ativos de várias maneiras. Para obter mais informações sobre a jornada de um cliente real.

Onde encontrá-los: Sua equipe de gerenciamento de contas tem uma boa idéia de quais clientes realmente tiveram experiências positivas ou quem é um cliente dedicado. Você também pode ligar para os respondentes por email ou mídia social.

exemplo: Estudos de caso como estes:

Gosto da citação deste exemplo: "A implementação mais suave de um pacote de software que estudei". – É real e poderoso. O estudo de caso completo pode ser encontrado aqui.

exemplo: Depoimentos como este.

Como você pede uma entrevista?

Depois de encontrar o (s) tópico (s) perfeito (s) para a entrevista, é hora de pedir um tempo para conversar. O e-mail é uma ótima maneira de alcançar as pessoas, pois não é invasivo e permite que elas leiam sua solicitação e pensem na resposta. Mensagens diretas nas mídias sociais também podem funcionar.

O objetivo do seu e-mail de contato é convidá-los para uma conversa com você e compreender a logística da entrevista real. explicar:

  • Quem você é
  • Por que você quer falar com eles?
  • O que você pretende fazer com a entrevista?

A referência ao seu trabalho ou empresa é uma ótima maneira de quebrar o gelo e elogiá-los. Começa seu relacionamento com essa pessoa com um tom positivo.

Se você recebeu suas informações de contato de outra pessoa, mencione ou copie essa pessoa no e-mail.

Sugira algumas vezes para falar ou pergunte se eles têm uma preferência. Por fim, você pode especificar um método de contato (por exemplo, um número de telefone para ligar, um local público para sugerir uma reunião, como uma cafeteria ou um código de reunião no e-mail) ou pode adiar esta etapa até que você saiba que eles estão prontos para falar com você e decidiram falar por um tempo.

Prepare-se para a entrevista

Antes de se encontrar com seu entrevistado, você deve se preparar. Eles querem iniciar a entrevista com confiança e um plano – o entrevistado pode estar nervoso ou não sabe o que esperar. Eles querem que eles se sintam bem desde o início. Você não quer que a energia nervosa ou os pensamentos interfiram na entrevista ou na capacidade de fazer uma grande oferta.

Pessoa e tópico de pesquisa

Antes de se encontrar com a pessoa, saiba quem ela é e por que a está entrevistando. Determine em qual das três categorias elas se enquadram para que você possa examiná-las adequadamente.

Aqui estão algumas coisas que você deve aprender sobre pessoas de todas as categorias:

1. PME e influenciadores

Você pode encontrar muito material na pesquisa on-line criada por você ou por você. Descubra por que eles são considerados PME ou influenciadores.

Anote as conquistas ou trabalhe seu público admira. Ter essas informações na ponta dos dedos pode ser útil no início da conversa. Isso fará com que os participantes se sintam à vontade conversando com você. Os elogios são sempre um aumento de confiança – e você deseja que seu respondente se sinta seguro. Além disso, você pode usar essas informações quando começar a escrever suas perguntas.

2. Funcionários e outras partes interessadas

Aqui você aprenderá informações básicas, como o título e há quanto tempo trabalha na sua empresa. Confira o perfil do LinkedIn para saber mais sobre sua carreira ou outros interesses profissionais. Se você recebeu um prêmio, recentemente recebido por um projeto bem-sucedido, recebeu uma promoção ou faz parte de um comitê de trabalho, observe essas atividades.

3. Clientes e clientes

Saiba quais produtos ou serviços eles usaram e há quanto tempo são clientes. Se necessário, descubra como esses produtos são usados.

Se você é uma empresa B2B, descobrirá em que setor está o seu respondente e como seus produtos se relacionam com esse setor. Dê um passo adiante e descubra o que a empresa faz. Então tente se colocar na posição. Que prioridades você define como empresa? Como seus produtos ou serviços podem se beneficiar dessas prioridades?

Escreva perguntas

Você provavelmente terá algumas perguntas naturalmente durante o processo de pesquisa, mas também desejará pensar cuidadosamente se ainda tem mais algumas perguntas para encerrar sua entrevista.

Em geral, tento responder a 10 perguntas, tendo em mente que alguns tópicos são adequados para uma entrevista mais longa ou mais curta. Não se force a fazer perguntas sem sentido apenas para atingir um determinado número, mas ao mesmo tempo não se coloque em uma posição em que você não tenha informações suficientes para escrever sua peça.

Pense no que um leitor esperaria dessa pessoa. Lembre-se de que você não entrevista essa pessoa por si mesmo, mas em nome do leitor. Se você tiver dúvidas, pergunte a alguém o que eles querem saber sobre essa pessoa.

5 dicas para escrever perguntas da entrevista:

1. Preste atenção na ordem das suas perguntas: É claro que suas perguntas devem fluir de uma para a outra. Mudar abruptamente de tópicos apenas leva à confusão e complica uma conversa natural.

Este é o meu ponto de partida para uma entrevista da equipe na Life at Brafton:

2. Comece com perguntas simples: Perguntas simples podem ser respondidas rapidamente e o entrevistado se acostumou a dialogar com você. Isso pode ajudar a aliviar o nervosismo que eles podem ter quando entrevistados. Mesmo se você confirmar apenas a ortografia ou pronúncia do sobrenome, cargo ou nome da empresa, poderá definir o andamento. Você também precisa dessas informações de qualquer maneira.

3. Desenvolva questões difíceis: Não pule diretamente para um tópico desafiador – isso pode levar a problemas repentinos. Ao abordar questões difíceis, você também pode desenvolver uma melhor compreensão da situação. Difícil pode ser um desafio emocional para a pessoa (com mais frequência na área de saúde ou recursos humanos) ou tecnicamente avançado (com mais freqüência na manufatura, software ou indústria pesada).

4. Escreva suas perguntas em aberto: A resposta natural para sua pergunta não deve ser uma única palavra. Incentive frases completas quando responderem – essas são as citações mais fortes que você pode usar de várias maneiras que se encaixam perfeitamente em um artigo. Perguntas que começam com "como" ou "por que" são geralmente apropriadas para respostas permanentes.

5. Nem toda pergunta deve ser uma pergunta: Às vezes eu digo: "Conte-me sobre sua experiência com o XYZ". O que eu gosto é que minha intenção é vaga o suficiente para que eles possam interpretá-la, mas é fácil para eles, o que torna a resposta mais suave. Outra maneira de fazer isso é responder à resposta de uma de minhas perguntas com uma declaração como "Isso parece ter sido um desafio para você". Isso leva a uma elaboração adicional que contém mais informações e citações!

Minhas duas últimas perguntas são sempre as mesmas, independentemente do tipo de entrevista que estou realizando.

Primeiro, você gostaria de adicionar algo ou deseja que outros saibam? Esta pergunta dá a eles uma mão livre para dizer o que mais eles pensam. Talvez eles tivessem algo a dizer o tempo todo, mas estavam esperando que você fizesse a pergunta certa. Isso lhes dá a oportunidade de divulgar tudo. Com esta pergunta, recebi algumas das minhas melhores citações. Também notei que, quando um respondente está particularmente alerta, essa pergunta pode frequentemente ser um catalisador para uma resposta detalhada e cheia de informações.

Finalmente: se eu tiver mais perguntas, como posso entrar em contato com você? Idealmente, você tem tudo o que precisa – mas, se perder essa informação perfeita, deseja ter certeza de que pode obtê-la. Eles quase sempre gostam de responder a uma pergunta rápida.

Algumas pessoas se sentem melhor quando recebem perguntas com antecedência. Normalmente, não compartilho minhas perguntas com antecedência, a menos que sejam especificamente feitas. Eu tento ter uma conversa natural e, fazendo as perguntas com antecedência, as pessoas podem formular as respostas em lata que possuem. pensar vai parecer bom.

Ou seja, quando perguntam, eu nunca digo não – isso apenas os impede de realmente conduzir a entrevista. A conversa não será tão produtiva se você iniciar esse relacionamento com negatividade. Envie-nos um e-mail com uma série de perguntas para verificar. Não faça grandes alterações depois de compartilhá-las com eles.

Durante uma entrevista

Ao iniciar a entrevista, sempre agradeça pelo tempo dispensado. Você poderia ter recusado seu pedido de entrevista, mas eles reservaram um tempo para fornecer informações valiosas sobre suas experiências. Sempre mostre sua gratidão por isso – porque eles realmente lhe dão um presente maravilhoso.

Antes de fazer suas perguntas, forneça a eles uma breve visão geral do motivo pelo qual você as está entrevistando. Talvez você os tenha preenchido quando pediu uma entrevista, mas agora é sua chance de dar-lhes ainda mais clareza.

Explique o que você faz pela empresa e o que fará com a entrevista quando ela terminar. Diga a ela por que você pediu uma entrevista. Agora você pode mencionar algumas das coisas que encontrou em sua pesquisa, como: Por exemplo, um desempenho que eles alcançaram ou um projeto no qual eles estão trabalhando, que acabou sendo bom.

Seja sempre acessível e compreensivo com o que seu tópico diz. Ao falar pessoalmente, use sugestões não verbais para mostrar que você entende o que elas compartilham. Você nunca sabe como a conversa terminará, por exemplo, se alguma coisa eles pensar que é um assunto benigno causará uma reação emocional.

Em uma entrevista, nosso produtor de vídeo perguntou a um funcionário de nosso cliente por que ele gosta de trabalhar para esta empresa. Ele foi imediatamente despedaçado e disse: “Esta empresa salvou minha vida.” Ele então compartilhou sua experiência com diabetes e se sentiu muito mal. Uma iniciativa de toda a empresa para continuar a dieta ceto-coletiva ajudou a perder peso, tornar-se saudável e controlar o diabetes.

A empatia é mais do que suficiente para reagir quando alguém se torna emocional. É também um reflexo da empolgação quando alguém realmente se empolga com um tópico que ama ou quando mostra que você está impressionado com uma performance da qual ele claramente se orgulha. A reflexão sobre essas emoções ajuda-as a se sentirem mais próximas de você como pessoa, deixando-as mais à vontade para compartilhar sua história com você.

Para gravar uma entrevista

Gravar uma entrevista é super útil. Se você não é um gravador de notas apressado, receberá TUDO dessa maneira. Dessa forma, você também pode garantir que recebe exatamente as ofertas corretas e não perde nenhum pequeno detalhe.

Durante uma entrevista, é fácil responder às perguntas, obter boas respostas e anotar os principais pontos. Mesmo que você converse com eles e pareça estar presente ao entrevistado, essa maneira de pensar pode impedir que você realmente ouça cada palavra que ele diz. Você pode usar a gravação para revelar esses pequenos detalhes posteriormente.

Por mais útil que seja a gravação de uma entrevista, você deve sempre ter uma permissão antes de começar. As leis para notificar as pessoas de que são registradas variam de estado para estado, mas a cortesia geral é a mesma em todas as áreas – não se inscreva sem permissão. É sorrateiro e desonesto.

Faça perguntas

Comece com essas perguntas super simples e depois trabalhe com as outras perguntas que você fez.

4 dicas para fazer perguntas durante uma entrevista

1. Se necessário, pule as perguntas: Se você fizer perguntas, poderá achar que o entrevistado é muito falador e responde a duas ou mais perguntas desde o início ou apenas responde a outra. Não há problema em ignorar perguntas se você já recebeu detalhes suficientes sobre esses tópicos. Não conduza ninguém pela sua lista de perguntas, se isso não parecer natural.

2. Faça as seguintes perguntas: As respostas do seu parceiro de entrevista também podem desencadear novas perguntas. Pergunte a ela. Isso dá mais profundidade à sua entrevista e pode guiá-lo para as informações mais importantes que você obtém da entrevista.

3. Deixe descansar: Às vezes, as perguntas são difíceis de responder. Pode levar alguns instantes para pensar na coisa certa. Não tenha medo do silêncio durante uma entrevista – algumas pessoas precisam dele para reunir seus pensamentos. A maioria das pessoas deseja preencher o silêncio durante uma entrevista, e é provável que o entrevistado faça o mesmo. deixar eles preencha o silêncio. (Claro, se continuar assim para por muito tempo, não hesite em entrar e seguir em frente.)

4. Modifique sua estratégia para obter mais informações: Nem todo mundo é uma Cathy faladora. Mesmo se você escrever suas perguntas não como respostas de uma única palavra, mas como perguntas abertas, algumas pessoas têm o dom de responder o mínimo de palavras possível. Isso pode ser frustrante quando isso acontece. Nesses momentos, você precisa perverter sua estratégia para promover frases completas e informações mais profundas.

Eu encontrei duas estratégias que são realmente eficazes:

  • reformulação: Faça sua pergunta novamente, mas de uma maneira diferente. Isso permite que eles analisem o tópico de uma perspectiva diferente e acionem uma nova idéia.
  • Descrição: Siga a resposta deles resumindo o que eles disseram. Isso mostra a eles que você está atento e realmente ouve o que eles dizem. Isso os ajudará a se sentir tão à vontade com você que eles poderão se exercitar um pouco mais.

Faça anotações

É sempre aconselhável fazer anotações em movimento. Dessa forma, você pode localizar as informações mais importantes.

Depois de fazer algumas entrevistas, você pode descobrir quando alguém compartilha um detalhe crítico com você. Observe isso como se você estivesse colocando pontos de controle em um mapa. Eles ajudarão você a encontrar seu lugar mais tarde, verificando suas anotações e transcrições.

Pessoalmente, gosto de fazer anotações à mão, especialmente durante entrevistas pessoais, pois parece menos uma barreira entre mim e a pessoa com quem estou falando. Ultimamente, no entanto, usei meu laptop, pois isso é um pouco mais prático, especialmente se for uma entrevista por telefone. É melhor usar o método que é natural para você. Se você entende sua própria letra e taquigrafia e é um escritor rápido, pode fazer anotações manualmente.

Normalmente, escrevo minhas perguntas em um documento do Google e respondo durante a entrevista. Isso também ajuda a organizar as respostas atualmente. Isso é especialmente útil quando um tópico responde acidentalmente a várias perguntas ao mesmo tempo.

Tomar notas durante uma entrevista é um ato de equilíbrio cuidadoso. Você não pode deixar que isso o pare demais, ou isso deixará um silêncio desconfortável (e não o tipo que leva a respostas mais detalhadas). Se você tiver pensamentos suficientes para lembrar o contexto mais tarde, deixe por isso mesmo. Se você precisar escrever mais algumas palavras, diga algo como "Gostei muito da maneira como você diz e apenas escrevo".

Após a entrevista

Quando a entrevista terminar, verifique se você tem as informações de contato, se tiver mais alguma dúvida, e envie sua última peça para revisão.

Finalmente, obrigado novamente pelo tempo. Diga a eles o que esperar em seguida, incluindo um prazo para enviar a última peça para revisão e quando publicá-la.

Transcrever e organizar

Escrever sua entrevista é um passo crucial. Comecei a transcrever minhas entrevistas quando estava trabalhando no jornal da minha universidade. Meu editor me aconselhou a começar, e pensei que era uma perda de tempo. No entanto, quando iniciei minha primeira transcrição, vi que estava errado.

Ao escrever a entrevista, fui capaz de digerir toda a conversa novamente. Consegui captar pequenos tópicos que havia esquecido ou esquecido. Também me ajudou a escrever o artigo, porque eu podia visualizar e organizar intuitivamente as informações. Também copiei e colei citações, nomes e títulos para garantir que estavam corretos.

Existem ferramentas que transcrevem áudio para você. Estes podem ser mais úteis para algumas pessoas. Pessoalmente, nunca os usei e duvido que o faça. Se eu examinar a conversa depois, receberei todas essas informações novamente. Este é um passo importante para mim.

Enquanto você faz anotações em movimento com seu laptop, a transcrição pode ser tão fácil quanto voltar e terminar pensamentos meio digitados e corrigir erros de digitação.

Ao passar pela entrevista, você vai pensar em como estruturar sua peça. Identifique tópicos e transições naturais entre tópicos. Dessa forma, você pode criar um esboço para o seu artigo.

Neste exemplo, adorei a história que meu entrevistado me contou sobre os perigos de uma pistola de ar quente mal projetada (que era a ferramenta que foi objeto deste estudo de caso):

Embora ele não tenha sido particularmente articulado quando explicou como viu pessoas derretendo sapatos no chão ou queimando as mãos devido a temperaturas extremamente quentes (ai!), Era um aspecto que precisava ser incluído na história. Resumi assim:

Aqui está o exemplo completo.

Escolha as aspas mais fortes – geralmente são frases completas que podem permanecer sozinhas ou amadurecer com a personalidade do sujeito. Certifique-se de que essas citações sejam incluídas no seu artigo, pois fornecem títulos, citações ou até depoimentos atraentes que podem ser inseridos em outros lugares.

Escreva sua peça

Depois de transcrever a entrevista, você pode começar a escrever. Organize seu conteúdo de acordo com o que o leitor solicitar primeiro:

  1. Quem é essa pessoa?
  2. Por que eu deveria me importar com o que eles dizem?
  3. Que informações posso tirar da leitura?

Inclua o maior número possível de citações, mas seja seletivo. Estes não podem ser pequenos deleites que não oferecem valor agregado. Eles não podem ser tão genéricos que você mesmo poderia escrevê-los. Escolha uma citação que somente essa pessoa teria dito.

Como este exemplo da vida de Stevie em Brafton:

… ou este exemplo de um estudo de caso escrito para um fabricante de equipamentos industriais:


Aqui está o exemplo completo.

Mantenha o objetivo da sua peça em mente. Você pode ter descoberto muitas informações, mas isso não significa que todas as informações em um artigo devem ser resumidas. Algumas dessas informações podem aprimorar o conteúdo existente, por exemplo, Por exemplo, se você já conversou com uma PME sobre um tópico sobre o qual você já escreveu. Ao escrever o artigo, foque no seu destino original. Isso ajudará a manter a cópia limpa em vez de se infiltrar em tópicos adjacentes.

Às vezes, você deseja se concentrar em vários pontos e tópicos em seu artigo. Divida-os em diferentes seções. Isso ajuda a evitar transições complicadas. Por exemplo, em nossa série Life at Brafton, gostamos de falar sobre as viagens de nossos funcionários à Brafton e seus interesses fora do trabalho.

Algumas delas funcionam bem juntas – mas é um desafio combinar powerlifting com marketing de conteúdo, por exemplo. Se você conhece Lyndsay Canada, sabe que não escreverá uma peça sobre sua personalidade e realizações sem mencionar sua rotina de exercícios. A escritora Stevie Snow combina bem abrindo uma nova seção com informações sobre Lyndsay participando de concursos de powerlifting:

Cancelar a inscrição do entrevistado

Mostre ao entrevistado o que você pensou quando terminou de escrever seu artigo. Embora nem sempre seja necessário, é sempre uma cortesia agradável. Isso também lhes dá a oportunidade de revisar fatos básicos para garantir que nada foi esquecido. Se algo estiver errado, eles são gratos pela oportunidade de solicitar um ajuste antes que ele seja publicado.

Se você enviar o último artigo para eles, eles também ficarão emocionados com a exibição da peça. Diga a eles quando podem vê-lo ou até ofereça-lhes para enviar o URL assim que estiverem online. É mais provável que compartilhem o artigo com seus amigos se estiverem animados para vê-lo e se souberem onde encontrá-lo.

Existem alguns casos raros em que alguém não entra em contato com você. As pessoas estão ocupadas. Não espere para sempre e espero que eles voltem com o polegar para cima. Eles deram a você permissão para usar a entrevista e deram a eles ampla oportunidade para revisar o produto final. Siga-os uma vez, aguarde alguns dias, mas você poderá publicá-los. Você fez sua diligência.

Finalmente: como tirar o máximo proveito da sua entrevista

Zu Beginn dieses Webinars habe ich einige Möglichkeiten aufgelistet, wie Sie Ihre Interviews verwenden und wiederverwenden können. Schauen wir uns jede dieser Optionen genauer an und wie Sie sie in Ihren Workflow integrieren können.

1. Machen Sie daraus Fallstudien und Erfolgsgeschichten.

Dies ist meine Lieblingsmethode für die Verwendung von Interviewinhalten. Dies kann sogar der Grund sein, warum Sie überhaupt ein Interview führen. Nehmen Sie Ihr Gespräch auf und erstellen Sie eine Gliederung. Ziehe deine Lieblingszitate ein (die mit Persönlichkeit gefüllt sind) und streue sie in deine Geschichte.

2. Einbindung von Zitaten in bestehende Inhalte.

Identifizieren Sie die allerbesten Zitate – diejenigen mit guten Informationen oder einzigartigen Einsichten, die Ihr Publikum zu schätzen wissen wird. Blättern Sie dann durch den Inhalt, den Sie bereits erstellt haben. Finden Sie Verbindungen zwischen den Themen und fügen Sie die Anführungszeichen in den Inhalt ein.

Wir haben dies in diesem Artikel getan: Erklärung der E-Mail-Tropfkampagnen.

Wir haben diesen Artikel ursprünglich im März 2018 veröffentlicht. Es war ein ziemlich informatives Stück über E-Mail-Tropfkampagnen und lieferte gute Ergebnisse. Wir haben beschlossen, es im Frühjahr 2019 zu optimieren, um es noch leistungsfähiger zu machen.

Gleichzeitig bauten wir eine Netzwerkbeziehung mit Matt Solar auf, dem Vice President of Marketing bei nDash.co. Wir konnten einige starke Ratschläge von Solar in das Stück aufnehmen, was seinen Wert noch mehr steigerte.

3. Fügen Sie Audio- oder Videoinhalten Sprachclips hinzu.

Wenn Ihre Aufnahme von guter Qualität ist, können Sie sie möglicherweise in Audio- oder Videoinhalten verwenden. Stellen Sie sicher, dass Sie die Erlaubnis Ihres Betreffs zu dieser speziellen Verwendung haben. Hier ist ein Beispiel aus unserer Podcast-Episode mit Andy Crestodina: Wir haben ein großartiges Zitat in ein Typografie-Video umgewandelt, um es auf Social Media zu teilen.

4. Identifizieren Sie gute Zitate, die neu aufgenommen werden sollen.

Wenn Sie keine großartige Aufnahme haben, können Sie Ihr Transkript überprüfen und qualitativ hochwertige Zitate oder sogar vollständige Geschichten finden, die Sie aufnehmen möchten. Wenn Sie dies jedoch vorhaben, planen Sie vorausschauend. Sagen Sie Ihrem Befragten, dass Sie Ihre Konversation überprüfen und ihn einladen, bestimmte Teile davon aufzuzeichnen. Erklären Sie auch, wie Sie mit diesen zusätzlichen Medien umgehen, z. B. in einem Podcast oder Video.

Ich habe dies in einem Langzeitprojekt für Multimedia-Journalismus über meine Universität namens War: Through Their Eyes getan. Nach mehreren Interviews mit meinem Thema, Warren, identifizierte ich drei kraftvolle Geschichten, die einige der Hauptthemen seiner Geschichte insgesamt hervorhoben. Ich tippte seine Worte ein, druckte sie aus und gab sie ihm wie ein Drehbuch zurück. Dann lud ich ihn zurück in ein Aufnahmestudio, damit ich die Geschichten in kurze Podcasts verwandeln konnte – hier sind sie.

5. Fügen Sie Assets, die etwas Besonderes benötigen, leistungsstarke Pull-Quotes hinzu.

Starke Anführungszeichen zu setzen und sie so zu formatieren, dass sie auffallen, kann mehr Interesse an Ihren Newslettern, E-Mails, Postkarten oder anderen Mitteilungen wecken. Diese Zitate sollten stark genug sein, um mit wenig Kontext für sich zu stehen und einen Kernwert Ihrer Organisation hervorzuheben.

Hier ist ein Beispiel aus einer Organisation, mit der ich früher als Highfields gearbeitet habe. Ich habe jedem E-Mail-Newsletter Zitate beigefügt, aus denen hervorgeht, welchen Wert Highfields für die Community hat. Ich hatte eine Liste mit starken Zitaten von verschiedenen Leuten, die von der Arbeit von Highfields betroffen waren, wie dieser Spezialist für Jugendgerichtsbarkeit:

Ich wollte sicherstellen, dass jede Person, die die E-Mail geöffnet hat, weiß, dass Highfields das Leben der Menschen wirklich verändert. Dies stärkt die Bedeutung der Organisation und fördert die Unterstützung.

6. Stellen Sie Pull-Quotes in sozialen Kanälen bereit.

Auch diese sollten stark genug sein, um für sich zu stehen, ohne den Kontext zu unterstützen. Sie sollten zum Nachdenken anregen oder inspirieren und Ihre Branchenexpertise unter Beweis stellen.

7. Machen Sie eine Testimonials-Seite besser.

Das Hinzufügen von Zitaten zu einer Testimonials-Seite hebt die besten Punkte Ihrer Testimonials hervor und steigert die Neugier. Wir tun dies auf unserer eigenen Seite mit Testimonials, um ein Schlüsselzitat aus jeder Geschichte hervorzuheben.

8. Formatieren Sie Ihren Gesprächs-Q & A-Stil.

Ein Stück im Q & A-Stil ist leicht verdaulich und sieht sehr authentisch aus. Es gibt keine Flusen – alle Informationen sind so angeordnet, dass der Leser sie selbst interpretieren kann. Es ist einfach, aber sehr einnehmend, weil es sich anfühlt, als würde der Befragte direkt mit dem Leser sprechen, und weil sich keine Interpretation des Autors darin mischt. Es sind nur die unveränderten Zitate (außer vielleicht ein paar Grammatikänderungen).

Hier ist ein Beispiel aus einem Hackernoon-Interview mit Brian Dean:

9. Mix and Match-Interviews für ein einzigartiges Stück.

Das Sprechen mit mehreren Experten ist eine sehr journalistische Technik, die Ihrem Artikel mehr Glaubwürdigkeit und Tiefe verleiht. Dies zeigt, dass Sie aufgeschlossen und bereit sind, nach den besten Informationen zu suchen.

Das Einfügen von Zitaten aus mehreren Interviewthemen verleiht Ihrem Inhalt eine neue Dimension, unabhängig davon, ob Sie über einen Branchentrend, eines Ihrer Produkte oder die Vorteile der Arbeit in Ihrem Unternehmen sprechen. Mehrere Stimmen, die Ihr Unternehmen hervorheben, stärken Ihren Wert.

Wir verwendeten diese Technik in diesem Artikel, als wir 7 lokale SEO-Experten um Rat fragten: 7 lokale SEO-Tipps von den Experten.

10. Betten Sie Videos in Ihre Website ein.

Das Einbetten von Videos in Ihre Website ist ideal für die Suchmaschinenoptimierung und die Verweilzeit, da die Seite dadurch wertvoller und interaktiver wird. Die Leute lieben es, Videos zu sehen. Sie tragen fast immer zur Leistung Ihrer Website bei.

Wo können Sie Videos auf Ihrer Website einbinden? Überall – Hier sind einige Statistiken:

  • Stellenausschreibungen mit Video haben eine um 34% höhere Bewerbungsquote.
  • Customers who watch ecommerce product videos are up to 144% more likely to add that item to their cart.
  • 80% of marketers say video has increased dwell time on their site.
  • 41% of marketers say video has helped them reduce customer support calls.

Questions from the webinar

1. We are planning a SuperFan program. What kinds of questions should we ask to get content?

You could ask them what brought them to the program and how they’re liking it so far. A few other questions I’d ask would include:

  1. How did you find out about the program?
  2. What got you interested in the program?
  3. What’s something that surprised you about the program?
  4. What’s your favorite part about it?
  5. What are you hoping to see from the program in the future?
  6. What would you tell someone else who’s considering joining the program?

2. Tools you would recommend for video interviews that are not face-to-face?

  1. We’ve used GoToMeeting, which works well.
  2. Skype is a great tool, and a lot of people have experience using it, or have at least heard of it.
  3. Google Hangouts is popular. John Mueller uses it when he hosts his Webmaster Hangouts, for example (but that’s not a big surprise).
  4. If video não needed, you can use Zencastr. This is what we use for recording guests for Above the Fold.

3. Strategies for keeping a library or catalog of your interview content?

I interpreted this question in two ways – a library/catalog for your own purposes, and a library/catalog on your website for people to find. These are both good ideas.

For my own purposes, I like to collect my transcription and notes in a Google Doc. Before the interview, I’ll type my questions up in that Google Doc, then fill it in with the transcription and notes. This keeps everything organized and easy to find. Then, I’ll keep all my interviews in a single folder.

As far as your website goes, you can keep content organized in a resources or blog section. You might have certain tags for different topics so people can search based on what they’re trying to learn. Those tags might be specific products, themes or people you’ve interviewed. Essentially, you want to make it as simple as possible for people to find what they’re looking for.

4. Can we take audio from webinar and use it in a typography video for social?

This depends on a few factors: quality and permission. If you have a video team, they can help with this type of project – making the audio sound as best as possible, and creating the typography video.

Of course, any time you’re using someone else’s own words and voice, you need permission. Reach out to that person to find out if they’d be OK with their voice being used in your marketing materials.

5. What effective audio-to-text applications do you know of? Our interviews are typically 30 minutes to 1 hour.

I truly do prefer the manual transcription process. It re-familiarizes you with everything that was said, which is majorly helpful when you begin planning your content and identifying the strongest quotes.

Plus, auto-transcription tools are prone to errors. If you do plan on using these, I’d highly recommend re-listening to your recording and reading along with the transcript to make sure everything is accurate.

With all that in mind, I have heard positive reviews about these auto-transcribing tools:

6. How can we encourage clients to share engaging content related to our brand?

If you want to do just a general push for engaging content, you could use social media to get people interested and do a user-generated content type of campaign. If you have contact with your clients, such as if you have an account management team that has a relationship with leads, you can see if they’d be interested in taking part in a case study or testimonial.

One thing we’ve done at Brafton is send out a Client Satisfaction Survey to get people’s feedback in that regard. When someone provides really positive feedback through that channel, we’ll follow up with them to see if they’d be interested in doing a case study, success story or testimonial with us.

Another thing you can do is ask for reviews on your social media, website, Google My Business or somewhere else. When someone leaves positive feedback, follow up with them to see if they’d be willing to speak longer about their experience.

7. Are there any common mistakes you see marketers making when it comes to turning interviews into usable content?

I would say a common mistake is just using it only one time. You really can re-use your content and build engaging stories.

You may have uncovered a ton of details about a whole bunch of aspects of a theme, but for the goal of your initial piece, you may only be able to use some of it. Keep those additional tidbits of information and re-use them in other ways. Even things you use in your initial piece, you can re-use in other ways, too. For example, stand-alone quotes posted on social media or used in an email, or using podcast audio in a typography video for social.

Any time someone has something positive to say about your brand, you should show that off in as many ways as you can.

8. I wish our sales team would capture and share content from their many sales calls. They complain about not having new case studies, but resist helping with the up-front steps. Does this sound familiar?

Yes, unfortunately, this does sound very familiar. It can be hard to coordinate sales and marketing teams to collaborate on these larger projects like this. A sound process that everyone can agree on, I think, is the best way to jump-start new content. Here are a few things that I’d recommend:

  1. Ask your sales team for examples of customers who have had positive experiences. Get those customers’ contact information and reach out to them.
  2. Make sure everyone on the sales and marketing teams are on the same page as far as: 1. who will reach out para 2. which customers, und 3. what they will say,

If it’s reasonable to assume your customers will have a comfortable relationship with one of your account managers or a member of your sales team, either ask that person to introduce you to the customer, or copy them on an outreach email.

9. Can client conversations be used to help define a brand? If our users see us one way, should our brand reflect that?

Getting to know how your clients view your brand can absolutely help guide your branding efforts. If they have a really positive view of your brand, but you aren’t actively using those points in your messaging, it could be worthwhile to mix them in. It might draw in like-minded customers, or capture the attention of someone who knew you existed but hadn’t really checked you out yet.

My favorite real-life example of this is when adidas hired a consultancy that worked with anthropologists to find out how people really viewed their brand. Internally, they were thinking people saw adidas as a high-performance athletic brand. In reality, many of their customers used their adidas gear for yoga, jogging and other (as they called them) “urban sports.” The company was surprised, but the adjusted their messaging to match.

Conversely, you may find out that people view you in a way you don’t exactly want promoted. This could be a good place to begin a re-branding effort, if it’s needed. At the very least, you could use this information to find out where this point of view is coming from, and come up with measures to adjust your messaging.

10. Are direct quotes more valuable than just conversation take-aways?

Absolut. Direct quotes are by default unique to the person who said them, which means it’s that person’s voice and personality that shines through in a direct quote, rather than the voice and personality of your brand when you rephrase or paraphrase what someone else said. That unique personality, separate from your brand, is what makes things like case studies and testimonials so engaging.

Plus, people have an easier time believing the words of a customer than a marketing department. That’s just the way it is.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Conteúdo visual para aumentar o tráfego: 8 estratégias principais · Blogs Postcron

Se bem executado, o O marketing de conteúdo serve para atrair tráfego,…

Como cobrar resultados da agência alugada

Um problema comum para os empresários é como os resultados são calculados…

Seis dicas para ganhar curtidas no Facebook sem gastar blogs verdadeiros de Postcron

As inovações do Facebook, que tentam melhorar o feed dos usuários, são…

Popular no Instagram: IGTV · Blogs do Postcron

o Instagram define novos padrões em vídeo com o lançamento do IGTV,…